segunda-feira, 19 de abril de 2010

A alma vira-lata de Maysa

(...) o vira-lata é um cachorro que tem estofo, misto de poeta e filósofo. O vira-lata vasculha latas de lixo, ama no meio das ruas, dorme nos monturos e não é propriedade de ninguém. É um cachorro que tem vivências, diferente dos cães policiais, que comparo com os atletas, e dos lulus, esses enfant gatés da raça canina. Tenho admiração profunda pelos vira-latas. Não amaria outros, se pertencesse à sua espécie”.


Maysa – Só numa multidão de amores, p. 121, Lira Neto, Editora Globo, 2007
Share |