terça-feira, 9 de junho de 2009

#Delíryos | O amor é importante, porra!

Não faz nem um mês que, a caminho de Moema, passando pela Faria Lima, me deparei com uma pichação que, de tão chocante, transcendeu o muro e ficou grafada no meu pensamento e - por que também não dizer? - no meu coração. "O amor é importante, porra" Juro que ao avistar a mensagem - que momentaneamente curou a minha miopia - fiquei estatizado. Por alguns segundos, parei no tempo. Não ouvia nem enxergava nada. Somente a frase, com suas poucas letras, inundava meus olhos e o meu pensamento, que foi chacoalhado pela força da mensagem.

Domingo (7), a matéria de capa da Revista da Folha abordou a famosa citação, pichada em vários pontos de São Paulo. De algumas opiniões colhidas sobre a máxima, a percepção da escritora Clarah Averbuck foi de encontro a minha. "Só 'o amor é importante' talvez soasse meio baba, mas 'o amor é importante, porra' serve como uma chacoalhada", falou Averbuck.

Em tempos de individualismo e egoísmo cancerígenos; tempos de conflitos universais, tempos em que tudo é moda, menos o amor; tempos em que o lado mais perverso do homem está em ascensão, surge - ninguém sabe de onde - um mensageiro com palavras tão simples, trazendo um mandamento primordial que a cada segundo cai no limbo do bueiro que se tornou a consciência de grande parte da humanidade.

A equipe de reportagem da Revista bem que tentou descobrir a identidade do 'emissário do amor', mas não obteve sucesso. Acredito que a curiosidade de querer saber quem é o articulista seja o sentimento que todos têm depois do choque provocado pelas breves e advertivas palavras. Conhecê-lo seria bom. O abraçaríamos e certamente seríamos contagiados por seu espírito tão nobre. No entanto, para ele, aparecer é o que menos importa. Para ele, o importante é que cada espectador de sua mensagem se conscientize, de forma pueril e, ao mesmo tempo, brusca, que o amor deve ter lugar cativo no nosso cotidiano tão tacanho, e, sobretudo, nos nossos atos, nos nosso corações.




Foto de Marcelo Penna
Share |

3 comentários:

  1. a pichação é importante. porra

    ResponderExcluir
  2. Também adorei esta ideia. A primeira vez que vi foi no muro do cemitério da consolação... fiquei dois dias pensando como tiraria a foto e quando voltei lá haviam limpado... tristeza! Que alegria quando me deparei com outra ali por perto...rsrs! Eu não sou nada fã de pixações... mas essas intervenções urbanas que nos fazem parar e pensar são o máximo. Esse dia felizmente eu estava com minha câmera e pude registrar. Nada como a criatividade urbana, certo? Outras pixações paulistanas feitas com amor. Muito amor:

    http://www.flickr.com/photos/marcelopenna/4665679954/

    http://www.flickr.com/photos/marcelopenna/4143813023/

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Marcelo, quanta honra! Fico gratíssimo pelo seu talento! Abração! Daniel

    ResponderExcluir