sexta-feira, 27 de março de 2009

#Delíryos | Para a sexta-feira: charges

Morrendo de vontade de passar por aqui e encher de vãs palavras a blogosfera e de mais confusão esta pobre página, mas estou totalmente sem tempo. Tempo? O que é o tempo? Melhor não teorizar nada. Hoje é sexta, vamos ficar 'contentinhos'? Então lá vai uma sequência de charges - olha a referência de felicidade do cidadão! (de novo: não vamos teorizar, combinado?).



Por hoje é só, caros opiófagos!


Share |

domingo, 8 de março de 2009

Mulher

Com a poesia e melodia da música Mulher, composição de Custódio Mesquita e Sadi Cabral, mais a sonoridade inconfundível e deliciosa de Emílio Santiago, não é preciso escrever ou falar mais nada. Corre-se o risco de tudo soar muito ridículo.

Às mulheres, mil afagos...



Share |

#Delíryos | Eu sou a mais 'feia'?



Quando o assunto é beleza, a maioria das mulheres não tem a mesma segurança que tinha a vilã mais famosa dos contos de fada, que, vestida de muita auto-confiança, questionava: “espelho, espelho meus, existe alguém mais bela do que eu?”.


Na vida real esse espelho é muito exigente. Sua principal função é ditar às mulheres os modelos impostos, principalmente, pela mídia. E como deve ser a mulher ‘ideal’? Alta, magra, cabelo liso, seios e bumbuns fartos, e o principal: livre de rugas, estrias e celulites.


Porém, em meio à busca pelos padrões estéticos, as mulheres não se atentam que têm algo em comum com a provocante personagem da história infantil: elas destilam muito encanto aos olhos dos homens – seus melhores espelhos – independente se são loiras, morenas, de cabelo crespo ou liso.


‘Defeitos’? Cadê os ‘defeitos’? Mulherada, se esses existem, os homens não dão importância para eles.



Clique aqui para ler a reportagem completa, que eu escrevi para o Jornal do Trem & Folha do Ônibus (o texto também traz uma divertida entrevista com a atriz Angela Dip).





Share |

quarta-feira, 4 de março de 2009

#Delíryos | Catarse

Depois dos dois últimos (picantes) posts, este opiófago decidiu abrir espaço para um momento mais piegas, talvez. Olha só: hoje, em um dos primeiros e-mails que respondi, escrevi ao destinatário: "direcione sua mente para as coisas producentes. Eu mesmo já declarei que vou fazer de 2009 o ano Jesus Cristo, o ano Gandhi, o ano Dalai Lama, o ano Bob Marley, o ano Dorival Caymmi. Em outras palavras: quero paz! Que as dores de cabeça que eu venha a ter se relacione apenas à produção ao meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) - e elas serão inevitáveis"

Após o envio da mensagem, uma colega de trabalho entregou-me o livrinho Minutos de Sabedoria. Ao abrí-lo, me deparo com a seguinte admoestação, que acertou em cheio com os últimos acontecimentos, que não precisam ser relatados aqui:

"Procure compreender o próximo. Não magoe aqueles que o beneficiaram. Procure compreender as palavras e ações dos outros, especialmente se o amam. Não fira a sensiblidade alheia, porque você sabe como sofre, quando fazem isso com você. Como dói ouvir palavras duras, de ingratidão, proferidas pelos lábios das pessoas a quem amamos! Não faça isso! Procure compreender os outros!"

Nunca quis fazer dos meus blogs vitrines que me expusessem (até porque não sou nada interessante). No entanto, agora estou enxergando esses grandes amigos virtuais como uma espécie de purificadores. Blogar também é uma catarse (por que não?).

Finalizo aqui esta ablução (ou momento auto-ajuda, como quiserem entender) com uma frase (porque eu sou apaixonado por citações) de Ghandi.

"Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energias. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo".

Votos de paz a todos! É o que deseja este pobre opiófago.




Share |