terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Enquanto me faltar inspiração...

Ando com uma vontade de escrever alguma coisa aqui, mas estou zerado de inspiração (não que os textos desse blog sejam arrebatadores (quem sou eu?), mas não é bom ficar assim, parado, com a mente a esmo).

Ainda estou impressionado com a peça do Zé Celso, por isso ando fuçando a net à procura de tudo que se refere a este senhor. Já sabia do envolvimento dele como diretor na peça Roda Viva, no entanto, nesses últimos dias, o vídeo da apresentação do querido Chicão no III Festival de Música Brasileira da TV Record (1967) me deixou viciado. (Olha a confusão: inicio o período falando do Zé e termino mencionando o Chico. Justifico: um é link do outro - você pesquisa sobre um e lá vai estar a tal Roda Viva, que une esses honrados senhores).

Mas, voltando ao filmete do Festival, tem um trecho que fico muito emocionado. Um garoto, de mais ou menos 8 anos, de olhos vidrados, cantando o maior hit dos festivais (ver 2:40 do vídeo). Quanta diferença das crianças de hoje, coitadas. Atualmente, os pequenos são embalados pelas cinco velocidades do Créu, o Bundalelê, e não sei mais o quê (melhor parar por aqui porque eu não entendo nada desse repertório. Além disso, talvez, eu esteja sofrendo uma crise de intelectualoidismo).

Quem sabe a postagem desse vídeo não me traga pelo menos 10% do entusiasmo do Chicão?
Enquanto isso não acontecer, vou deitar e rolar, confortavelmente (vitrificado por este samba).


Share |

Nenhum comentário:

Postar um comentário